Uma viagem ao coração da BKT, Piero Torassa

02 - Uma-viagem-ao-coração-da-BKT

Engenheiro de campo na BKT há mais de uma década,  Piero fala de si mesmo na TV digital, BKT Network.  “Nas minhas formações, quero que as pessoas entendam que um pneu não é apenas um objeto; deve ser manuseado com grande cuidado e atenção.”

Sabia que na BKT, uma das fabricantes de pneus off-highway mais importantes do mundo, também trabalham engenheiros românticos? Verdadeiros heróis do trabalho?

Chama-se Piero Torassa, engenheiro de campo na BKT há mais de uma década, e conta à BKT Network como, na sua opinião, os pneus são o coração e espírito de todos os veículos. É verdade, ele está verdadeiramente apaixonado pelos pneus.

Eis Piero, numa série de excertos da entrevista disponível na íntegra na TV digital da BKT aqui

Piero, sabemos que não aborda as suas formações de forma técnica. É mais um comunicador que torna tudo simples e natural.  Podia falar-nos sobre si?
Obrigado, Ann Helena, agradeço o comentário. Sou de Turim, tenho 53 anos e concluí a licenciatura em engenharia mecânica e termofísica dos materiais isolantes na universidade de Génova. E isto incluiu a borracha, claro. O que estudei passou a ser o meu trabalho e faço parte da “família BKT” há dez anos.

O que significam os pneus para si?
Boa pergunta e a resposta é só uma: adoro pneus!

Viajo muito para testá-los e verificar as aplicações em campo, em condições reais. Todos os pneus têm histórias diferentes e representam novas viagens e muito trabalho.

São um elemento tão importante da minha vida que estou sempre a ver os tamanhos dos pneus dos veículos parados quando saio com a minha família. A minha mulher costuma pedir-me que pare, mas é difícil! Trabalho no setor dos pneus há quase 25 anos.

Como é um dia normal de trabalho para si?
Adorava poder descrevê-lo, mas não posso mesmo. Não quero ofender ninguém, mas faço tantas coisas diferentes. Todos os dias são diferentes e todos são especiais. Não tenho uma rotina diária.

 Permita-me que reformule a pergunta: podia falar-nos sobre o seu trabalho? Gostávamos mesmo de saber o que faz um engenheiro de campo.
Em traços largos, desenvolvo tudo o que um pneu necessita conforme os ambientes em que é utilizado. Estes ambientes incluem campos agrícolas e instalações industriais, logística portuária, estaleiros, pedreiras. Por isso, viajo muito para reunir-me com os nossos utilizadores finais aqui, na Europa. E estou sempre em contacto com o nosso departamento de vendas e com o departamento de investigação e desenvolvimento relativamente a melhorias. Este último departamento encontra-se na Índia e visito o país com frequência.

O que faz quando visita os locais de trabalho dos utilizadores finais?
Presto assistência técnica no local. E resolvo os problemas em campo com os nossos produtos e serviços. Especificamente em relação aos pneus todo-o-terreno (OTR), a nossa prioridade é disponibilizar capacidades técnicas e de engenharia.

Também testa o pneu?
Claro, mas prefiro o termo “monitorização”. O que faço é monitorizar e melhorar o desempenho dos pneus e a qualidade do produto. Por outras palavras, analiso todos os fatores chave que contribuem para o desempenho do produto, especialmente as condições operacionais do cliente.

Tudo parece tão fácil quando fala, mas não é. Assisti a formações técnicas suas, aqui na BKT Network. Sente-se à vontade a explicar as coisas, não é verdade?
Sim, sim. Estou a realizar muitas sessões de formação técnica junto dos nossos parceiros de distribuição na Europa. E é importante que as pessoas entendam que um pneu não é só um objeto preto e redondo.

Na BKT, dizemos sempre que “os pneus são essenciais para um equipamento de elevado desempenho”, mas eu vou mais longe: quer se trate de um veículo agrícola, de uma pá carregadora de rodas ou de um camião basculante todo-o-terreno, os pneus são o coração e espírito de todos os veículos.

Piero, permita-me que lhe diga algo: é o primeiro engenheiro romântico que já conheci.
A verdade é que estou apaixonado pelos pneus…

Esquecendo tudo o resto, acho que é importante transmitir esta mensagem. As avarias frequentes, os períodos de inatividade e a troca excessiva dos pneus são, infelizmente e com frequência, o resultado de uma recomendação do pneu errado.

Os vendedores de pneus devem dispor das competências técnicas adequadas e de formação específica para poderem recomendar pneus para diferentes aplicações. Todos sabem que tempo é dinheiro, mas a segurança do operador está estreitamente ligada a isto. Por isso, há centenas e centenas de fatores a ter em conta. Não é fácil, mas também não é assim tão difícil. Lá diz o provérbio: querer é poder.

Uma vez que viaja tanto, quantas língua fala? E que línguas usa no trabalho?
Falo italiano, claro, alemão, inglês e um petit peu de français. Faço as minhas apresentações sobretudo em inglês, mas também em alemão. A Alemanha é um mercado muito importante para nós.

Sei que é um apaixonado da televisão. Qual é o seu ídolo do pequeno ecrã?
Não tenho, mas acho interessante pesquisar algumas celebridades e descobrir que têm um curso de engenharia. Sabia que, por exemplo, Rowan Atkinson (o Mr Bean, que adoro) é licenciado em engenharia eletrotécnica? Ou que Jimmy Carter, antigo presidente dos Estados Unidos, é licenciado em ciência e que a atriz Ally Walker (Sons of Anarchy, Profiler) tem uma licenciatura em engenharia biomédica? Pesquiso estas pessoas famosas… E sinto-me em boa companhia!

OK, é verdade. Não é uma estrela televisiva, mas teve um papel de “herói do trabalho”.
Sim, foi um projeto bastante divertido. Colaborámos com a feira comercial alemã bauma, numa minissérie chamada “Working Hero. A day in the life of our Working Hero, Piero Torassa” (Herói do trabalho. Um dia da vida do nosso herói do trabalho, Piero Torassa). Foi muito divertido. A história centrou-se num processo para melhorar um produto especial, que desenvolvemos para um cliente na pedreira Carrara.

Começámos a filmar nas famosas pedreiras de mármore branco sob condições extremamente difíceis para um pneu devido ao peso a transportar, um bloco de mármore de aproximadamente 45 toneladas. Mais declives acentuados, íngremes e escorregadios. A tração e estabilidade foram essenciais.

Na altura, os veículos estavam equipados com o nosso pneu radial integralmente em aço para aplicações todo-o-terreno, o EARTHMAX SR 49.

Era um pneu com classificação de 2* (2 estrelas, a marcação especial de capacidade de carga todo-o-terreno). O desenvolvimento do produto resultou na melhoria da estrutura do pneu, passando à classificação de 3 estrelas e adaptação para esta utilização.

Vi parte do vídeo. Falou muito com o condutor.
Temos muitos aparelhos, instrumentos e equipamentos de monitorização. Mas as opiniões e o feedback do operador ou condutor são igualmente importantes. O operador é quem melhor conhece o desempenho do equipamento e dos pneus. É provavelmente a única pessoa com uma ligação a esta simbiose entre a máquina e o pneu.

E agora algumas perguntas pessoais para ficar a conhecê-lo melhor. Quem é o seu cantor ou grupo preferido?
Muitos grupos do final da década de 1980, embora esteja agora a ouvir música clássica, barroca e romântica. É mesmo ideal para relaxar!

Quais são as suas cidades favoritas? Uma na Europa e outra noutro local do mundo.
Roma na Europa, um museu a céu aberto com inúmeros tesouros escondidos. Respira-se história em Roma.

Fora da Europa, algumas cidades na costa oeste dos Estados Unidos são mesmo fascinantes. São Francisco é inesquecível.

O seu filme preferido?
Agora, com as nossas três filhas, é difícil escolher um filme. Em família, gostamos de “descontrair” a ver filmes sobre desastres, e Dwayne Johnson é o nosso ator preferido. E, para mim, a trilogia O Padrinho é obrigatória.

Sim, vivo com quatro mulheres. É um trabalho duro, provavelmente mais difícil do que ser engenheiro de campo! Estou a brincar. Adoro passar tempo com a minha família e dedico-me a 100% a elas quando estou em casa.

Uma última pergunta, já obrigatória na nossa série de Conversas que inspiram: qual é a sua grande paixão?
Gosto de cozinhar e de escolher o vinho certo para os diferentes pratos.  E adoro tocar piano: é quando mais relaxo. Faço-o sempre que possível. Por último, adoro ler, especialmente livros ambientados durante as Cruzadas, na Idade Média, quando a realidade é frequentemente associada à fantasia e às crenças.

Tão diferente da era moderna pós-digital!

 

Notícias da mesma categoria

Redação RP

Do mesmo Autor: Redação RP

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com