Até 2030 na Michelin será “Tudo Sustentável”

04 - Ate-2030-na-Michelin-sera-Tudo-Sustentavel

Por ocasião do Capital Markets Day do Grupo, Florent Menegaux, Presidente, Yves Chapot, Gerente e Diretor Financeiro, juntamente com todos os membros do Comité Executivo, apresentaram a Michelin In Motion, a estratégia “Tudo Sustentável” da Michelin para 2030.

Florent Menegaux explicou a visão “Tudo Sustentável” do Grupo, baseada na procura permanente do equilíbrio adequado entre as pessoas, o planeta e os resultados económicos (People, Planet, Profit), apresentando os objetivos do Grupo para 2030 em torno de doze indicadores que abarcam os domínios do meio ambiente, social e financeiro. Estes objetivos são detalhados na página 4. Florent Menegaux destacou, em particular, o compromisso do Grupo relativamente a:

Pessoas

  • Alcançar um nível de compromisso dos funcionários superior a 85%;
  • Aumentar a proporção de mulheres em cargos diretivos até 35%;
  • Ser a referência mundial em segurança no trabalho, com um índice TCIR inferior a 0,5.

Planeta

  • Reduzir de forma significativa as emissões de CO2, nos âmbitos 1 e 2 (-50% relativamente a 2010), e na parte transporte do âmbito 3, para alcançar em 2050 a neutralidade carbónica neste perímetro (âmbitos 1, 2 e transporte);
  • Aumentar a taxa de matérias-primas sustentáveis em todos os seus produtos: 40% no horizonte de 2030, em linha com o objetivo de 100% em 2050.

Resultados económicos

  • Crescer de forma sustentada, com uma progressão anual de vendas média de 5% entre 2023 e 2030, uma vez terminada a atual crise devida às consequências da COVID-19;
  • Realizar entre 20% e 30% das vendas em negócios não relacionados com os pneus;
  • Garantir uma criação de valor significativa, com um ROCE superior a 10,5% entre 2023 e 2030.

 Novas áreas de crescimento para além do pneu

A Michelin continuará a crescer, investindo e inovando nas atividades e negócios relacionados com os pneus. As evoluções da mobilidade pós-COVID-19, e a aceleração do mercado de veículos elétricos, constituem uma verdadeira oportunidade de crescimento para o Grupo. De facto, a Michelin desenvolveu uma liderança tecnológica única na conceção e fabrico de pneus adaptados aos requisitos específicos dos veículos elétricos. No domínio do transporte rodoviário, o Grupo dará prioridade à seletividade e à criação de valor, enquanto que, em matéria de pneus para especialidades (mineração, engenharia civil, agricultura e aviação), a Michelin propõe-se continuar a ser a referência, capitalizando, nomeadamente, na diferenciação dos seus produtos e serviços.

Graças à sua capacidade de inovação e ao seu conhecimento dos materiais, a Michelin também está determinada em desenvolver-se fortemente em cinco sectores em torno dos pneus e para além dos mesmos:  Serviços e soluções, materiais compostos flexíveis, sector médico, impressão 3D em metal e mobilidade baseada no hidrogénio.

  • Nas atividades de serviços e soluções, o Grupo vai desenvolver e ampliar a sua oferta de soluções para as frotas, com base, especialmente, na conectividade e na análise de dados;
  • A Michelin planeia crescer significativamente no muito dinâmico mercado dos compostos flexíveis (cintas transportadoras, correias, revestimento de tecidos, juntas…) através de uma política de fusões-aquisições que criem valor, assim como da incubação de novos negócios;
  • O sector médico também constitui uma oportunidade de crescimento para os próximos anos;
  • No âmbito da impressão 3D em metal, o Grupo desenvolveu uma experiência única, que suporta a capacidade da AddUp, a sua joint-venture com a Fives, para comercializar uma ampla gama de soluções sob medida para a indústria;
  • No que se refere à mobilidade baseada no hidrogénio, o Grupo procura tornar-se um líder mundial em sistemas de pilhas de combustível de hidrogénio através da Symbio, a sua joint-venture com a Faurecia.

Primeira etapa em 2023

Por ocasião do Capital Markets Day, o Grupo também apresentou as suas diferentes iniciativas de competitividade industrial para alcançar uma poupança anual líquida, sem contar com a inflação, de 80 milhões de euros entre 2020 e 2023. Adicionalmente, a Michelin anunciou uma poupança nos custos gerais e administrativos (SG&A), nas atividades relacionadas com o negócio dos pneus, de 65 milhões de euros líquidos até 2023, e de 125 milhões para 2025.

Seguidamente, Yves Chapot anunciou os objetivos financeiros para 2023. Nessa data, o Grupo prevê alcançar um número de vendas em torno de 24 500 milhões de euros, com um resultado operacional3 dos sectores superior a 3 300 milhões de euros, e um cash-flow livre estrutural de 3300 milhões de euros acumulados em 2022 e 2023, alcançando um ROCE de 10,5%.

O Grupo também se compromete a levar a cabo um esforço de valorização das suas externalidades negativas (emissões de CO2, consumo de água e de dissolventes), e impõe-se objetivos de redução de cerca de 10% para 2023.

Por último, o Grupo decidiu rever a sua política de distribuição de dividendos, com o objetivo de alcançar uma taxa dos benefícios distribuídos em dividendos, excluindo elementos não recorrentes, de 50% a partir de 2021.

Notícias da mesma categoria

Redação RP

Do mesmo Autor: Redação RP

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com