Como evitar erros na montagem e equilibragem

05 - tecnica-erros-equilibragem

O sucesso numa oficina de pneus, como em qualquer local de trabalho, começa pelo domínio dos conceitos básicos. Os problemas mais comuns na montagem e equilibragem de pneus resultam de erros básicos que, em muitos dos casos, são facilmente remediados

ERROS DE MONTAGEM:

  1. Danos no TPMS

Os danos no TPMS ocorrem frequentemente pelo facto de o técnico não prestar atenção à localização do TPMS antes de começar a desmontar ou montar o pneu. Uma simples verificação pode facilmente ajudar a evitar este problema.

  1. Fixação incorreta que causa danos nas jantes

Todas as jantes de alumínio devem ser fixas externamente, mas o que vemos frequentemente é que os técnicos tentam poupar tempo fixando a jante internamente. Isto dá origem a riscos no interior das jantes. Utilizar um trocador de fixação central evitará este tipo de danos.

  1. Não utilizar lubrificante ao desmontar

Quase todos os operadores não utilizam lubrificante ao desmontar um pneu. Dizem que demora muito aplicar o lubrificante, mas depois têm dificuldades para tirar o pneu da roda, o que lhes faz perder tempo e pode danificar o pneu. Também é importante utilizar a quantidade certa de lubrificante. Quando não utilizamos suficiente, podemos danificar o pneu e a jante. Se utilizarmos demasiado, podemos provocar o deslizamento do pneu na jante e detetar problemas de vibração”.

  1. Talão colocado incorretamente na cabeça de montagem

A causa número um de complicações e danos nos pneus é a colocação incorreta do talão na cabeça de montagem. Nalguns casos pode não haver problema em colocar indiferentemente o pneu na cabeça de montagem, sendo que esta permitirá tal situação. Mas na maioria dos casos, o pneu ficará danificado se um talão muito grosso ou outras condições evitarem que este suba para a cabeça de montagem. Nessa altura podemos retirar o pneu da jante ou da própria cabeça de montagem. De igual modo, a montagem do talão superior pode fazer com que o operador perca a posição de relógio para o sensor do sistema de monitorização da pressão dos pneus (TPMS) quando o pneu para e recomeça.

  1. Não empurrar o pneu para o centro

Vêm-se frequentemente falhas dos operadores no que diz respeito a empurrar o pneu para o centro da jante. É incrível o número de técnicos que não percebem plenamente qual o objetivo de empurrar o pneu para o centro. Vemo-los a parar o pneu e a danificá-lo. Ou a meio da montagem do talão superior o pneu salta da cabeça de montagem ou da jante e não se consegue montar. A falha na execução deste passo básico também representa um risco substancial de danos no TPMS. Se o pneu não for colocado no centro corretamente pode ficar montado 180 graus atrás de onde devia e talvez prenda o sistema do TPMS.

Por vezes, os operadores pensam que poupam tempo ao não utilizar as ajudas para pressionar, mas se analisarmos quanto tempo é gasto com a paragem do pneu, ficando parcialmente montado e tendo que ser parcialmente desmontado e reiniciado o processo, o tempo ganho ao não se utilizar perde-se na totalidade”.

Leia o artigo completo aqui