Pirelli obrigada a alterar esquema de pneus no Rali da Acrópole

09 - Pirelli-obrigada-a-alterar

O pneu Scorpion KX da Pirelli era a principal escolha para o Rali da Acrópole. No entanto, devido às condições excecionalmente frias e ao piso molhado, o foco alterou para o KX, o composto macio

Kalle Rovanpera, piloto da Toyota, tornou-se no oitavo finlandês a vencer o Rali da Acrópole, e junta-se a uma lista de grandes nomes que incluem Ari Vatanen, Juha Kankkunen, Marcus Gronholm, Timo Salonen, Markku Alen, Jari-Matti Latvala e Mikko Hirvonen (o último vencedor na Acrópole, numa prova que decorreu em 2009). Rovanpera foi o mais rápido em oito etapas (assim como no shakedown) e conquistou a vitória por mais de meio minuto, superando dois campeões: Ott Tanak, da Hyundai, e o atual líder do campeonato, Sebastien Ogier, da Toyota.

A ETAPA-CHAVE: SS13 TARZAN (23,37KM)
Uma etapa lendária do Rali da Acrópole, que regressou pela primeira vez desde 2003. A etapa Tarzan revelou-se um desafio altamente técnico, que se tornou ainda mais complicado devido à chuva e às condições lamacentas. Em teoria, estas condições favoreciam os pneus macios, mas Rovanpera , com uma mistura de pneus macios e duros, alcançou um tempo incrível, conseguindo uma vitória por 14 segundos.

Terenzio Testoni, responsável Pirelli no WRC: “Este foi um rali fascinante, cheio de reviravoltas e com uma grande variedade de condições: algumas das quais bastante incomuns para este evento. A estratégia de pneus ajudou a fazer a diferença desde a primeira etapa. O dia de estreia ficou caracterizado por uma baixa aderência e superfícies escorregadias, enquanto que o sábado apresentou condições muito mais típicas do Rali da Acrópole, com superfícies abrasivas e elevados níveis de desgaste. O domingo, inesperadamente, apresentou alguma chuva, com temperaturas amenas. Estamos particularmente satisfeitos com o desempenho do pneu duro, que demonstrou um nível de desempenho consistente e sólido em todas as situações e em todas as superfícies. Esse facto sublinha a sua capacidade deste pneu muito versátil e que se revelou adequado para um rali como este, onde a diferença entre o pneu macio e o duro foi essencial. Parabéns a Kalle, que levou os pneus ao limite, selando uma vitória fantástica.”

Andreas Mikkelsen, ao volante de um Skoda Fabia R5, venceu o WRC2 e garantiu o nono lugar na geral. Yohan Rossel, com um Citroen C3, venceu na categoria de WRC3 e alcançou o 11º posto na geral.