Valorpneu realizou 19º Encontro

09 - Valorpneu-realizou-19-Encontro

Decorreu a 23 de novembro mais uma edição do Encontro Anual Valorpneu. A pensar nestes novos tempos, o 19.º Encontro decorreu num formato híbrido, presencialmente no Grande Real Villa Itália Hotel & Spa, Cascais, para um número limitado de pessoas e de acordo com as normas exigidas pela DGS, e online, com transmissão em direto via streaming

Sob o tema “O Futuro Conduzido pela Inovação”, o propósito deste Encontro foi apurar as novas tendências do setor, abordar os avanços na área do Ambiente, os objetivos que a Valorpneu se propõe a atingir no futuro e a melhor forma de disseminar as boas práticas no setor.

Com um painel de comentadores bastante completo, foi Hélder Pedro, Gerente da Valorpneu, que deu as boas-vindas aos convidados e fez uma breve apresentação da Valorpneu enquanto entidade gestora com praticamente duas décadas de existência “que sempre cumpriu os seus objetivos e que desde o início da sua atividade tem como foco contribuir para a Economia Circular”.

No entanto ressalva que: “Apesar de ao longo dos anos a Valorpneu ter promovido várias ações no que diz respeito a I&D e Inovação, com diversas instituições e com implementações práticas, enquanto entidade gestora a Valorpneu não consegue isoladamente concretizar todas essas ações com vista à reutilização de materiais que resultam da reciclagem e valorização de pneus”.

A sessão de abertura ficou também a cargo da Secretária de Estado do Ambiente, Inês dos Santos Costa, que destacou o facto da Valorpneu ter sido a primeira Entidade Gestora a apostar em Inovação, mas ainda assim “tem que dar mais passos nesta área juntamente com quem produz, com quem usa e com quem pode reutilizar ou reciclar os componentes associados aos pneus usados”.

O evento prosseguiu com um breve balanço da Valorpneu em 2021, com as contribuições de Climénia Silva (Diretora Geral), Diogo Aresta (Departamento Rede Produtores), Paulo Silva (Departamento Logística Rede Transportes e Valorização), Dora Gervásio, (Departamento Logística Rede Recolha) e Sara Duarte Silva (Departamento de Marketing e Comunicação).

O atual ano ficará para a história da Valorpneu como um ano de recuperação e resiliência. Climénia Silva revelou à Revista dos Pneus “2021 foi um ano de recuperação, com um contexto pandémico mais controlado, um mercado com forte crescimento, mudanças legislativas profundas com impacto na atividade do SGPU, novos critérios, normas e regras a publicar, forte aposta na prevenção, I&D e inovação e reforço da equipa da Valorpneu.

Depois da tempestade vem a bonança e como tal, a Valorpneu estima recolher mais 13.100 toneladas de pneus para além do seu objetivo, quantidade recolhida e tratada voluntariamente e que tem como destino a valorização energética. As 84.800 toneladas de pneus usados recolhidas evitam a produção de 127.000 toneladas de emissões de CO2eq.

O principal destino dos pneus recolhidos, dentro do limite do objetivo de recolha, é a reciclagem (78,2%), seguindo-se a valorização energética 17%), a recauchutagem (3,8%) e outras formas de valorização (1%).

No âmbito das atividades para garantir a sustentabilidade do setor, Climénia Silva destacou o programa de inovação NextLap, promovido em conjunto com a Recicladora Genan e com a consultora de inovação Beta-i, com vista a encontrar novas soluções para os materiais derivados da reciclagem de pneus usados e dos seus componentes.

Questionada pela Revista dos Pneus sobre o futuro dos pneus recauchutados, a Diretora Geral afirmou “Os pneus recauchutados tinham uma perceção muito negativa, hoje em dia, essa perceção já não é tão acentuada. No contexto da economia circular, este setor posiciona-se como sendo um setor privilegiado, ou seja, recuperar um pneu já em final de vida, num novo pneu, com todas as caraterísticas de segurança e homologações, idênticas a um pneu novo, é um setor com uma perspetiva muito risonha”.

Como já vem sendo habitual nestes Encontros, realizou-se uma “mesa redonda” subordinada ao tema “A Inovação do Setor”, moderada pela jornalista Liliana Carvalho e que contou com as intervenções de Fernanda Dias (Diretora-Geral da DGAE), Rodrigo Gonçalves (Diretor do Departamento de Resíduos da APA), Jorge Vieira (Goodyear, em representação da CEPP – Comissão Especializada de Pneus da ACAP), Ana Ferreira (Consultora da Beta-i) e Climénia Silva (Diretora-Geral da Valorpneu).

Neste fórum foram debatidas as principais inovações e contributos para o setor dos pneus em fim de vida, onde mais uma vez foi destacado o programa NextLap, cuja primeira edição trouxe um contributo significativo na procura de soluções para estas matérias e, mais do que isso, criou um elo de ligação entre inovadores, empresários e a indústria, que era, de acordo com Climénia Silva, a componente que faltava neste tipo de programas, onde a Valorpneu foi pioneira em 2008 com o lançamento do Prémio Inovação, “quando ainda pouco se falava de economia circular”.

A Direção Geral das Atividades Económicas (DGAE) e a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) falaram de regulamentação e destacaram a importância da inovação tecnológica e da colaboração em qualquer área de negócio, nomeadamente no setor dos pneus usados.

Ao longo da manhã foi ainda apresentado e entregue o Prémio de Desempenho de Centro de Receção de Pneus Usados 2021 ao Centro de Receção Paulo Jorge Mesquita Lda.

Num momento mais lúdico foi realizado um ‘quizz’ “Quem Sabe Mais Sobre a Valorpneu” e o Jogo da Verdade.

No final do evento, Climénia Silva, revelou à Revista dos Pneus como pretendem estar num Futuro próximo, “a Valorpneu quer continuar a manter-se como Entidade Gestora de Pneus, queremos evoluir para sermos vista como uma identidade charneira, de farol de inovação e desenvolvimento neste setor”, concluiu.

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com