Diagnóstico de um pneu com tração

02 - N2_pneus_tracao1

Os pneus são fabricados com componentes de montagem em borracha, cabo de tecido e cabo de aço curados em conjunto num molde. Sob calor intenso e pressão durante o processo de cura, a borracha atinge um estado quase líquido antes de ocorrer a vulcanização, concluindo o tamanho, estrutura e forma exatos do pneu

Se os componentes internos do pneu forem desalinhados durante o processo de cura, é possível que forças internas díspares provoquem uma tração lateral do veículo, mesmo quando este é conduzido em reta. Quando isto acontece com uma marca de pneus nova, deve-se normalmente à conicidade, um defeito de fabrico quando o piso do pneu foi curado com uma forma ligeiramente cónica, em vez da desejável forma cilíndrica uniforme. Um pneu com conicidade devido a um erro de fabrico fica aparentemente bem depois da instalação ou logo após a primeira rodagem.

Se a tração do pneu começar por ser detetada após vários quilómetros de condução, isso deve-se normalmente às condições de condução ou ao desalinhamento do veículo que provocaram o desgaste do piso do pneu em ângulo (desgastando-se um lado mais rapidamente do que o outro), ou que deixaram que o pneu no lado esquerdo do eixo se desgastasse mais rapidamente do que o pneu no lado direito do mesmo eixo.

Se um veículo tem um problema de tração, o alinhamento deve ser verificado (incluindo as definições de camber, caster e ângulo de inclinação do KPI). Se o alinhamento consistir nas definições preferidas do fabricante ou estiver apropriadamente dentro do intervalo, o seguinte procedimento pode ser utilizado para confirmar que o pneu está a provocar a tração.