Oryzasil Sílicas Naturais produz sílica verde

05 - Oryzasil Sílicas Naturais produz sílica verde

A Oryzasil Sílicas Naturais S.A., localizada na cidade de Itaqui no Sul do Brasil, foca-se na sustentabilidade, utilizando cascas de arroz como matéria-prima, produzindo energia e insumos químicos, para aplicação no mercado de pneus

Empresa fundada pelo Grupo MPC, de origem alemã, desenvolveu uma solução para o problema ambiental das cascas de arroz, onde 70% da produção de arroz no Brasil estão localizadas no Rio Grande do Sul, sendo Itaqui o segundo município maior produtor do Estado. O arroz é um dos principais componentes da nutrição no Brasil e a sua casca representa mais de 20% dos grãos colhidos, atualmente despejados em aterros que causam danos à natureza, gerando gás metano e dióxido de carbono e danificando o solo.

Com base no conceito de indústria química moderna, a empresa desenvolveu alguns tipos de sílicas precipitadas amorfas a partir desta matéria-prima renovável, equivalentes aos provenientes da indústria química clássica, cuja matéria-prima é a areia, de fonte esgotável. O projeto, através da queima das cascas de arroz, gera energia térmica suficiente para o processo de produção das sílicas precipitadas.

Numa primeira fase, o silicato de sódio é fabricado a partir das cinzas, que se trata de um produto intermediário para a produção de sílica precipitada. Após a produção do silicato de sódio ocorre a recuperação do carbono, um subproduto alternativo ao carvão ativado. Na fase seguinte o silicato de sódio é usado para a fabricação da sílica precipitada e o subproduto dessa reação, o sulfato de sódio, é recuperado e destinado à indústria de detergentes.

A cadeia de valor da sílica verde
Para as empresas dedicadas ao descasque de arroz, o gerenciamento da casca representa um problema econômico e ambiental. Econômico por conta dos custos associados ao transporte e administração da área de armazenamento das cascas, e ambiental por conta das emissões de CH4 e CO2, riscos de incêndios, e degradação do solo da área de armazenamento. Para abastecer a operação da Oryzasil, as fábricas que descascam o arroz reduzem o problema enviando as cascas diretamente para a produção de energia e químicos, reduzindo a poluição ambiental e utilizando o potencial subexplorado e sustentável das cascas de arroz.

A cinza, resultado da queima da casca para geração de energia termoelétrica, é a matéria-prima para a fabricação de químicos. Com este processo, a Oryzasil cria um processo circular e sustentável. Outras empresas do ramo, por sua vez, utilizam a areia de quartzo como fonte de silício para a fabricação da sílica, elemento que é extraído do meio ambiente por meio de um processo de mineração com impacto ambiental.

O processo de fabricação de sílica precipitada gera um co produto em grande proporção à sílica, no caso o sulfato de sódio que é utilizado na indústria de detergentes. O sulfato de sódio é separado da sílica por um processo de filtração, cujo resultado é uma solução aquosa de baixa concentração, e que num processo clássico de produção de sílica é descartado em rios e mares. A Oryzasil recupera o sulfato de sódio através da secagem e a água retorna ao processo de produção. E ainda um segundo co produto o qual direcionamos ao mercado como alternativa ao carvão ativado para o tratamento de efluentes.

O mercado das indústrias de artefatos de borracha pode contar com um insumo produzido através da química moderna de baixo carbono e baixo impacto ambiental. As sílicas precipitadas Oryzasil têm especificações e propriedades equivalentes às atualmente disponíveis no mercado, seja para a indústria de pneus, de artefatos leves de borracha, e para a fabricação de solados para calçados de alto desempenho.

Um projeto global
Um novo negócio dentro do Grupo MPC, a Oryzasil Silicas Naturais S.A. nasce no Brasil com potencial global, cujo objetivo é construir unidades de produção nas diferentes regiões geográficas e, assim, disponibilizar a sílica precipitada de origem renovável para as indústrias globais que se preocupam com a sustentabilidade de seus produtos e de seus negócios.

Capacidade de produção anual da unidade de Itaqui:

5.000 toneladas de sílicas precipitadas

3.500 toneladas de sulfato de sódio

500 toneladas de carbono

A estratégia da empresa é baseada no mercado de pneus, os chamados pneus verdes ou pneus de alta eficiência energética, que podem economizar de 5% a 10% de combustível e, como consequência, reduzem as emissões de CO2.

Pode ver mais informação sobre a sílica precipitada verde aqui