Michelin alcança resultado de 3600 milhões de euros em vendas

02 - Michelin alcanca resultado de 3600 milhoes de euros em vendas

Em 2023, a Michelin conseguiu melhorar os seus resultados operacionais dos setores, com um resultado de 3600 milhões de euros e um sólido free cash flow de 3000 milhões de euros

A Michelin registou um resultado operacional dos setores recorde em 2023, não obstante às condições adversas do mercado e às taxas de câmbio desfavoráveis, demonstrando, uma vez mais, a qualidade do seu modelo de negócio, ao mesmo tempo que melhorou o compromisso com as pessoas, e acelerou o seu quadro de referência.

Este desempenho ilustra a estratégia do Grupo de continuar a agregar todo o seu valor a soluções distintas, concebidas para satisfazer os requisitos cada vez mais exigentes dos seus clientes.

As vendas totalizam 28 300 milhões de euros, um aumento de 2,0% a taxas de câmbio constantes, com um mix e preços que compensam as condições desfavoráveis do mercado. Vendas de produtos e serviços que não os pneus cresceram 10%.

– Mercados de venda de pneus, a nível mundial, mantiveram-se estáveis, mas com um mix adverso, com os primeiros equipamentos a crescerem na maioria dos segmentos, ao passo que o segmento dos pneus de substituição foi penalizado por uma redução massiva das existências (que agora se considera completa);

– Volumes de vendas de pneus caíram 4,7%, o que reflete a estratégia do Grupo, de dar prioridade aos mercados e segmentos que apreciam a sua proposta de valor;

– Efeitos dos preços e mix aumentaram 5,7%, dos quais 1,2% do mix foram potenciados tanto pelos produtos como pelas geografias;

– Vendas que não os pneus aumentaram 10%, ou 146 milhões de euros, num perímetro de consolidação constante. Integração do Flex Composite Group está no bom caminho;

– Efeito negativo da taxa de câmbio de 2,9%, uma vez que a maioria das divisas caíram face ao euro.

Resultado operacional dos setores alcançou um máximo histórico de 3600 milhões de euros; a margem aumentou de 0,7 pontos para 12,6% das vendas.

– Efeito dos preços afetado pelo impacto retardado dos ajustes de 2022;

– Efeito substancial do mix, resultante da orientação para o mercado e para os segmentos, combinado com a melhorada proposta de valor do Grupo;

– Melhoria do desempenho operacional compensa fatores de inflação de custos.

Cash Flow livre antes de aquisições de 3000 milhões de euros, o que reflete a melhoria do EBITDA e a acentuada redução do capital circulante.

– EBITDA aumentou 4%, para 5500 milhões de euros, ou 19,4% das vendas;

– Redução de 1000 milhões de euros no capital circulante, impulsionada por uma diminuição tanto nos volumes de inventário como de valor;

– Contribuição positiva de 200 milhões de euros das joint-ventures e das empresas associadas, em particular da empresa conjunta de distribuição TBC nis EUA.

ROCE alcançou 11,4%, para 0,6 pontos, refletindo a performance intrínseca e a gestão ativa da carteira.

Resultado líquido manteve-se estável, em 2000 milhões de euros, apesar dos 600 milhões de euros de previstos para a reestruturação industrial. Será proposto à Assembleia Geral de Acionistas um dividendo de 1,35 euros por ação, mais 8% que em 2022.
Dada a sua geração de caixa estrutural, e a sua sólida estrutura financeira, o Grupo iniciará um programa de recompra de ações, que poderá alcançar até 1000 milhões de euros no período 2024-2026.

A Michelin mantém a sua estratégia “Michelin in Motion 2030” nos seus dois outros pilares. Do lado das pessoas, em 2023, registou-se uma taxa de compromisso recorde de 83,5%. O Grupo também está a melhorar a sua pegada ambiental, reduzindo o consumo de água em 10%, e as emissões de CO2 em 6%.

Florent Menegaux, presidente, declarou: “Num ambiente empresarial desafiante, as nossas equipas altamente comprometidas contribuíram para o alcançar dos sólidos resultados que anunciamos hoje para 2023. Gostaria de agradecer-lhes de todo o coração pela sua tremenda capacidade de adaptação diária. Com estes resultados, o nosso Grupo deu mostras da sua capacidade para cumprir com os objetivos fixados para 2023 no âmbito da sua estratégia “Michelin in Motion 2030″, e anseia pelos próximos passos a implementar”.